Biografia

Milton Erickson, (Milton H. Erickson, M.D. – 1901-1980) (foto ao lado) é considerado o maior hipnotizador de todos os tempos e tinha a fama de conseguir induzir o transe hipnótico a qualquer pessoa. Realmente, todos os que o viram trabalhar, puderam observar a veracidade disto. Ele tinha muitas técnicas que adaptava a cada paciente. Não haviam, para ele, técnicas padronizadas que servissem para todos os casos. Erickson, quando tinha 17 anos, contraiu paralisia infantil, sendo obrigado a permanecer quase toda sua vida em uma cadeira de rodas. Apesar disto, usando sua voz e poucos gestos, conseguia levar as pessoas ao transe hipnótico.

Terminou seus estudos em psiquiatria e psicologia em 1929. Logo concluiu que os métodos então usados para tratar os pacientes eram muito lentos e, no seu entender, pouco eficientes. Ainda não havia o arsenal de medicamentos hoje usados em psiquiatria e ele interessou-se logo pela hipnose, começando a desenvolver seus próprios métodos e técnicas. Ele deixou poucos escritos e se preocupava com as pessoas que tentavam banalizar suas abordagens terapêuticas, temendo que assim pudessem ser deturpadas e mal aplicadas.

Técnicas

Na hipnose tradicional, observa-se que existem pessoas hipnotizáveis e outras que não conseguem entrar em transe, por mais que o hipnotizador se esforce. Isto se dá porque as pessoas não gostam de se sentir controladas. Geralmente, elas preferem sentir que não estão sendo forçadas a nada ou que tem várias opções a escolher.

Muitos psicólogos e psiquiatras, estudaram os métodos de Erickson a fim de tentar descobrir um padrão que pudesse lançar alguma luz às suas curas aparentemente milagrosas. Quando se perguntava a ele sobre sua técnica terapêutica, ele geralmente respondia que não sabia explicar. Apenas se preocupava em observar o cliente e segui-lo, fazendo-o que não se desviasse do caminho.

Âncoras

Uma âncora é qualquer estímulo que percebemos com nossos sentidos e que nos faz recordar com todos os detalhes de algo do passado. A ancoragem é natural no ser humano. Como exemplo, quando ao ouvir uma determinada música que em nossas lembranças foi ouvida em uma ocasião marcante do passado, parece que retornamos ao fato e revivemos todas as emoções e sensações daquele momento. Os casais costumam ter a “nossa música” que, ao ser ouvida, os faz lembrar da juventude, quando estavam muito apaixonados.

As âncoras podem referir-se a uma imagem, sendo chamada de imaginativa ou a qualquer canal sensorial: visual, auditivo, sinestésico, tátil e olfativo. Assim, temos âncoras verbais e não verbais.

Elementos da Indução

1. Permissão/validação/observação/utilização
2. Evocação ao invés de Sugestão
3. Pressuposições/implicações/dicas contextuais
4. Sincronização
5. Descrição
6. Palavras de permissão e de transferência de poder
7. Divisão
8. Ligação
9. Intercalar